Anule
agora!
'

Após mudança na fiscalização, prisões pela Lei Seca crescem 1.900% em SP

fjdj

Uma mudança na planejamento das fiscalizações da operação Direção Segura provocou um salto de 1.900% no número de prisões de motoristas embriagados na cidade de São Paulo durante o ano de 2014.

 

O número de motoristas presos por infringir a Lei Seca subiu 1.900% no ano passado na cidade de São Paulo.

 

Segundo dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública), foram 4.085 prisões no ano passado, ante 204 em 2013. Em relação a 2012, o aumento das prisões foi de 99%.

 

A pasta avalia que o aumento no número de prisões foi provocado pela modificação do planejamento da operação Direção Segura, cujas fiscalizações passaram a se concentrar em pontos mapeados pela inteligência da PM.

 

As mudanças começaram a ser implantadas em 2013 e, segundo a secretaria, resultaram na elevação de prisões no ano seguinte. Na avaliação da pasta, houve uma otimização das ações policiais.

 

As multas também tiveram um salto, de 4.868 em 2013 para 8.748 em 2014, o que corresponde a um aumento de 79,7%. Nos dois anos, porém, as multas foram inferiores ao total de 2012: 9.031.

 

O número de pessoas que se recusam a usar o bafômetro também subiu em 2014. Foram 33.636 recusas em 2014, 251 em 2013 e 429 em 2012.

 

O motorista que recusar o teste do bafômetro é multado em R$ 1.915,40 e tem a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa.

 

As regras mais rígidas da Lei Seca entraram em vigor em 23 de janeiro de 2013. O limite do bafômetro, que era de 0,1 mg/l (miligrama de álcool por litro de ar), passou a ser de 0,05 mg/l –equivale a menos de um copo de cerveja.

 

Pessoas flagradas com índice entre 0,05 mg/l e 0,33 mg/l são multadas em R$ 1.915,40 e podem ter a habilitação suspensa por 12 meses. Com índice superior a 0,34 mg/l, o motorista é preso e responde na Justiça por crime de trânsito.

 

Fonte:  http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/03/1600354-apos-mudanca-na-fiscalizacao-prisoes-pela-lei-seca-crescem-1900-em-sp.shtml